CUIDADO

O tipo mais comum é o glaucoma primário de ângulo aberto, que frequentemente não apresenta sintomas.

Clique aqui e conheça os seus direitos

Evolução do campo visual - Clique aqui

 Tipos de glaucoma

Existe uma variedade de tipos de glaucoma. As formas mais comuns são:

01. Glaucoma de ângulo aberto

Aproximadamente um por cento dos americanos apresentam esta forma de glaucoma , tornando-a a forma mais comum no país. Ocorre predominantemente em indivíduos acima de 50 anos e corresponde a 90% dos casos de glaucoma.

Nesse caso, não há sintomas e não há dor , fazendo com que o paciente muitas vezes não percebe que está perdendo lentamente a visão até os últimos estágios da doença, podendo chegar a cegueira irreversível.

O ângulo entre a íris e a córnea é amplo (aberto), tal como num olho normal. O problema ocorre nos canais de drenagem do fluido ocular, que por algum motivo não cumprem a sua função, fazendo com que aumente a PIO.

Imagem do ângulo aberto

O Glaucoma de ângulo aberto, pode ser ainda dividido em:

índice

02. Glaucoma crônico (AF)

Neste caso existe um bloqueio dos canais de drenagem do Humor aquoso devido o espaço entre a íris e a córnea estar fechado.

Há uma tendência de que esta seja uma doença herdada, mas muitas vezes vários membros de uma mesma família vão ser acometidos. É uma doença mais comum em indivíduos descendentes de asiáticos e também em pessoas hipermétropes.

Quanto mais estreito o ângulo entre a íris a córnea, mais próxima estará a íris da malha trabecular. Com o envelhecimento, a lente do olho ( cristalino ) torna-se maior. A habilidade do humor aquoso de passar entre a íris e o cristalino em seu caminho para a câmara anterior diminui, causando aumento da pressão de fluido atrás da íris, estreitando ainda mais o ângulo. Se a pressão se torna suficientemente alta, a íris é empurrada contra a malha trabecular, bloqueando a drenagem do aquoso, assim como se um ralo tivesse sido posto em uma pia e a torneira permanecesse aberta.

Imagem do ângulo fechado

Quando isso ocorre, aderências entre a íris e o sistema de drenagem do olho se formam lentamente e a pressão sobe somente quando existe aderências suficientes para comprometer o fluxo.

Quando este espaço encontra-se totalmente bloqueado, o resultado é um ataque de glaucoma de ângulo fechado (glaucoma agudo).

índice

03. Glaucoma agudo (AF)

Diferentemente do glaucoma primário de ângulo aberto, onde a PIO se eleva de forma lenta, no glaucoma agudo, ela sofre elevação abrupta. Esse rápido aumento pressórico pode ocorrer num prazo de algumas horas e tornar-se extremamente doloroso. Dependendo do aumento pressórico, a dor pode ser tão intensa que pode causar náuseas e vômitos. Os olhos tornam-se vermelhos, a córnea fica edemaciada e opaca, e o paciente pode referir halos luminosos e visão borrada.

Um ataque agudo de glaucoma é uma condição de emergência. Se há demora em iniciar o tratamento, a visão pode estar permanentemente destruída. Cicatrização da malha trabecular pode ocorrer como resultado de glaucoma crônico, que é muito mais difícil de ser controlado. Pode haver também o desenvolvimento de catarata. Dano do nervo óptico pode ocorrer rapidamente e causar perda permanente da visão.

Muitos destes ataques repetidos ocorrem em ambientes escuros como teatros e cinemas. Se você está lembrado, ambientes escuros causam dilatação da pupila, ou seja, aumento no seu tamanho. Quando isso acontece, há máximo contato entre a lente e a íris, o que deixa o ângulo estreito e pode desencadear uma ataque. Sabe-se também que a pupila também dilata em momentos de estresse e ansiedade. Conseqüentemente, muitos ataques de glaucoma agudo ocorrem durante períodos de estresse. Uma variedade de drogas também pode levar a um ataque de glaucoma por causar dilatação da pupila. Estas incluem: antidepressivos medicações para gripe, anti-histamínicos, e algumas medicações para o tratamento de náuseas.

Os sintomas incluem:

índice

04. Glaucoma de pressão normal

Nesse tipo de glaucoma, o dano ao nervo óptico e o estreitamento da visão lateral ocorrem inesperadamente em pessoas com pressão intra-ocular normal.

Tanto nos casos de glaucoma de ângulo aberto como de pressão normal, raramente o paciente apresenta sintomas bem definidos, como dor nos olhos ou a redor deles, e alteração da visão.

O glaucoma pode levar meses e até anos para se desenvolver, sem apresentar qualquer alteração. Na maioria dos casos, a doença progride lentamente sem que o paciente note a perda gradual da visão periférica.

índice

05. Glaucomas secundários

São Glaucomas semelhantes aos anteriores, mas que aparecem em resultado de outro problema ocular, como diabetes, infecções, ou traumas. O seu tratamento tem a ver com a doença que inicialmente o causou.

Pode estar associado a complicações de doenças pré-existentes como diabetes, problemas de formação ocular, alto grau de miopia, cataratas hiper-maduras e o uso de colírios de cortícoide sem orientação médica.

índice

06. Glaucoma congênito

É raro, mas ao contrário dos outros tipos de glaucoma, este apresenta sinais e sintomas como. O glaucoma congênito é uma afecção extremamente grave que, apesar de sua baixa incidência, se constitui na maior causa de cegueira na criança.

Bebê com glaucoma congênito

Os bebês que nascem com este glaucoma têm:

Esta forma de Glaucoma é muito grave, e tem sempre de ser tratada através de cirurgias ainda feitas nos primeiros meses de vida.

O Glaucoma Congênito atinge 1 em cada 10.000 rescém nascidos e pode ser primário ou associado com anomalias oculares ou sistêmicas.

O glaucoma congênito primário tem base genética, na maioria das vezes é bilateral. A criança pode nascer com glaucoma ou ter o seu aparecimento até 2 anos de idade. Mas, existe também o glaucoma congênito tardio que aparece depois dos 2 anos de vida.

índice

07. Glaucoma juvenil

É raro, inicia-se na infância ou adolescência. Como muitos tipos de glaucoma, tem um componente hereditário.

índice

08. Glaucoma neovascular

O fechamento excessivo do vaso retinal pode fazer com que vasos sangüíneos anormais cresçam na íris (parte colorida do olho), obstruindo o fluxo normal de fluído que sai do olho. Com isso, a pressão dentro do olho aumenta, provocando o glaucoma neovascular, que lesa o nervo óptico.

  • Ir para a próxima página (Faixa de risco)
  • Ir para o menu de navegação
  • Ir para a página anterior (O que é o glaucoma)

Copyright 2007 VEJAM.COM.BR vejam@vejam.com.br

Desenvolvido por VIRTUAL E DIGITAL